Saber da Saúde | Iniciativa Boston Scientific


Incontinência Urinária

1
O que é
2
Tipos
3
Causas
4
Fatores de Risco
5
Tratamento

O que é incontinência urinária?

A incontinência urinária - perda involuntária de urina - é um problema comum e frequentemente embaraçoso. A intensidade varia de perder urina ocasionalmente ao tossir ou espirrar a ter uma vontade tão repentina e forte de urinar que você não consegue chegar ao banheiro a tempo.

Embora ocorra com mais frequência com o envelhecimento - 30% das idosas e 15% dos idosos apresentam a condição - esta não é uma consequência inevitável do avanço da idade. Se a incontinência urinária afetar suas atividades diárias, não hesite em consultar o seu médico. Para a maioria das pessoas, algumas mudanças simples no estilo de vida ou um tratamento médico podem aliviar o desconforto ou interromper o problema.

Quais são os tipos de incontinência urinária?

Muitas pessoas apresentam pequenas perdas ocasionais de urina. Outros podem ter escapes leves a moderados com mais frequência. Conheça agora os tipos de incontinência urinária:

  • Incontinência de esforço: A urina escapa quando você pressiona a bexiga ao tossir, espirrar, rir, fazer exercícios ou levantar algo pesado.
  • Incontinência de urgência: Você sente uma necessidade repentina e intensa de urinar, seguida por um escape involuntário de urina. É preciso urinar durante o período de sono ou ocorrem escapes noturnos.
  • Incontinência de transbordamento: Você tem gotejamento frequente ou constante de urina porque a bexiga não esvazia completamente.
  • Incontinência funcional: Uma deterioração física ou mental, como o Alzheimer impede que você chegue a tempo ao banheiro.

É comum ter dois ou mais tipos de incontinência urinária (incontinência mista). Se sentir algum destes sintomas, entre em contato com o seu médico assim que possível.

Quais são as causas da incontinência urinária?

A incontinência urinária não é uma doença, mas sim um sintoma. Ela pode ser causada por certos hábitos diários, doenças ainda não diagnosticadas ou problemas físicos. Uma avaliação completa por seu médico pode ajudar a determinar o que está causando o problema.

Certos alimentos, bebidas e medicamentos podem atuar como diuréticos (estimulam a bexiga e aumentam o volume da urina), como álcool, cafeína, refrigerantes e água mineral com gás, adoçantes artificiais, chocolate, pimentas, alimentos ricos em especiarias, açúcar ou ácido, especialmente frutas cítricas, medicamentos para pressão arterial e para o coração, sedativos e relaxantes musculares ou grandes doses de vitamina C.

A incontinência urinária também pode ser causada por uma condição temporária ou facilmente tratável:

  • Infecção urinária: As infecções podem irritar a bexiga, causar uma forte vontade de urinar e, às vezes, incontinência.
  • Prisão de ventre: O reto está localizado próximo à bexiga e compartilha muitos nervos. Fezes duras e compactas no reto fazem com que esses nervos se tornem excessivamente ativos, o que aumenta a frequência urinária.
  • Gravidez: conforme o feto cresce, o útero passa a pressionar a bexiga e a vontade de urinar se torna mais frequente, podendo haver escapes. A condição geralmente desaparece após o parto. Porém, em caso de cistocele, conhecida como bexiga caída, o médico pode receitar o hormônio estrogênio ou indicar um procedimento cirúrgico para a inserção de um anel flexível que apoia a bexiga. Os sintomas da bexiga caída incluem sensação de pressão na pélvis e na vagina, desconforto ao se esforçar e sensação de que a bexiga não foi totalmente esvaziada depois de urinar.

Por outro lado, mudanças fisiológicas podem requerer acompanhamento médico e tratamento mais detalhados. Por exemplo, devido à idade, a contração do músculo da bexiga se torna mais difícil e a capacidade de armazenar urina diminui.

Nos homens, a prevalência de incontinência varia de 3% a 11% no geral, e a incontinência de urgência representa entre 40% e 80% de todos os casos nos pacientes do sexo masculino. Este tipo de incontinência urinária geralmente ocorre por causa de um aumento da próstata, uma condição conhecida como hiperplasia prostática benigna.

O câncer de próstata também causa incontinência quando não tratado, por causa do aumento da glândula, e os pacientes em tratamento podem sofrer com esta condição como efeito colateral dos medicamentos.

Além disso, tumores em qualquer parte do trato urinário podem obstruir o fluxo normal de urina e levar à incontinência por transbordamento, bem como cálculos urinários (pedras na bexiga).

Problemas neurológicos como esclerose múltipla, Parkinson, acidentes vasculares cerebrais (AVC), tumores cerebrais ou lesões da medula podem interferir nos sinais nervosos envolvidos no controle da bexiga e causar incontinência urinária.

Quais são os fatores que aumentam o risco de incontinência urinária?

Conforme você envelhece, os músculos da bexiga e da uretra perdem força. Além disso, mulheres têm uma probabilidade maior de sofrer incontinência de esforço. Entretanto, os homens com problemas de próstata apresentam alto risco de incontinência de urgência e transbordamento.

Histórico familiar, especialmente de incontinência de urgência, e doenças neurológicas ou diabetes também aumentam seu risco.

Dois fatores que podem ser mudados e reduzir seu risco de desenvolver a condição são o controle do peso, já que o sobrepeso e a obesidade aumentam a pressão sobre a bexiga e enfraquecem os músculos ao redor, e parar de fumar, porque o tabaco tem componentes que irritam a bexiga.

Como diminuir o risco de incontinência urinária?

A incontinência urinária nem sempre pode ser prevenida, mas algumas mudanças de comportamento podem ajudar a reduzir seus riscos:

  • Mantenha um peso saudável
  • Pratique exercícios para o assoalho pélvico
  • Evite alimentos que irritam a bexiga, como cafeína, álcool e comidas e bebidas ácidas.
  • Coma mais fibras, o que pode prevenir a constipação, uma das causas da incontinência urinária.
  • Não fume ou procure ajuda para parar de fumar.

Quais são os tratamentos para incontinência urinária?

O tratamento da incontinência urinária depende do tipo, da gravidade e de uma causa geralmente pré-existente, ainda que não diagnosticada. Pode ser necessário fazer uma combinação de tratamentos, partindo dos menos invasivos aos mais complexos, caso os primeiros não apresentem os resultados esperados. Se uma doença pré-existente estiver causando os sintomas, o médico tratará essa doença primeiro.

Exercícios para fortalecer os músculos do assoalho pélvico: Conhecidos como exercícios de Kegel, os movimentos que fortalecem o assoalho pélvico podem aumentar seu controle sobre a micção. Eles são especialmente eficazes no tratamento da incontinência de esforço. Para as mulheres, o uso de pessários, dispositivos de silicone colocados na vagina, podem ajudar a elevar a bexiga e evitar os escapes de urina.

Medicamentos: Seu médico pode receitar medicamentos anticolinérgicos, para tratar a bexiga hiperativa, já que relaxa o músculo detrusor, responsável pela expulsão da urina do órgão, ou bloqueadores alfa, que ajudam a aumentar o fluxo urinário e reduzir o volume residual após urinar.

Cirurgia: Se outros tratamentos não funcionarem, existem vários procedimentos cirúrgicos que podem tratar os problemas causados pela incontinência urinária.

Nos homens, duas opções cirúrgicas ajudam a controlar a incontinência.

Esfíncter urinário artificial - Um dispositivo composto de um pequeno anel cheio de líquido é implantado ao redor do colo da bexiga e uma válvula é implantada sob a pele do escroto. Ao ser pressionada, faz com que o anel esvazie e permita que a urina flua para fora da bexiga. As mulheres contam com diversas alternativas cirúrgicas, como: Sling feminino - Por via vaginal, uma fita de polipropileno é inserida abaixo da uretra, se integra aos tecidos do corpo e aumenta a resistência do órgão, de maneira a evitar os escapes.

Suspensões do colo vesical - cirurgia que ajuda a colocar uma bexiga flácida de volta à sua posição normal

Procedimento de Marshall Marchetti Krantz (MMK) - cirurgia em que o tecido ao redor da uretra é levantado e costurado no osso na parte frontal da pelve e no tecido atrás da parede abdominal.

Cirurgia de Burch - cirurgia que eleva o colo da bexiga aos ligamentos fortes nos ossos pélvicos usando suturas.

Estimulação do nervo sacral - dispositivo semelhante ao marca-passo, em que um eletrodo de longa permanência é inserido por um pequeno corte na parte inferior das costas e um neuroestimulador é inserido sob a pele da nádega superior.

Onde posso saber mais sobre incontinência urinária?

Diversas organizações podem ajudar você e seus familiares a entender e tratar a incontinência urinária. Além disso, preparamos uma série especial, no YouTube, para abordar essa condição. Assista e leia mais sobre isso.

Baixe o e-book Vida Sexual e Câncer de Próstata