Diabetes

1
O que é
2
Fatores de Risco
3
Diagnóstico
4
Tratamento
5
Recursos

Diabetes

Se você ou alguém que você conhece foi diagnosticado com diabetes ou está procurando informações sobre prevenção, aqui está uma visão geral dos fatores de risco e diagnósticos disponíveis.

O que é Diabetes?

O diabetes é uma doença endócrino-metabólica crônica, caracterizada pelo aumento de glicose (açúcar) no sangue. Ao longo do tempo, causa complicações no coração, cérebro, rins, olhos e membros inferiores. Em 2019, foi a 9 a principal causa de morte no mundo. 1

O diabetes tipo 2 é o mais comum, acomete principalmente adultos e é causado pela resistência ou deficiência na produção de insulina. Já o diabetes tipo 1 é uma doença juvenil auto-i mune, em que os glóbulos brancos, responsáveis pela defesa do organismo, atacam as células que produzem insulina.

Além disso, as mudanças hormonais durante a gravidez podem causar o Diabetes Gestacional. Pacientes com níveis de açúcar no sangue acima do normal são, geralmente, classificados como pré-diabéticos e devem ser monitorados, pois têm alto risco de desenvolver a doença.

A Federação Internacional do Diabetes estima que, em todo o mundo, 537 milhões de pessoas convivem com a doença, que causa uma morte a cada 5 segundos.2 Os números vêm crescendo nos últimos 30 anos, apesar dos esforços dos países integrantes da Organização das Nações Unidas para cessar o aumento de casos de diabetes e obesidade até 2025. 3

No Brasil, de acordo com o último estudo Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel 2021)4 , no conjunto das 27 capitais, a prevalência de diabetes foi de 9,1%, sendo de 9,6% entre as mulheres e de 8,6% entre os homens. A Sociedade Brasileira de Diabetes estima que 40 milhões de brasileiros sejam pré-diabéticos

Fatores de Risco

O diabetes tipo 1 ocorre abruptamente em crianças e jovens, quando a secreção de insulina fica comprometida. As causas desta doença autoimune ainda não estão claras, mas predisposição genética e fatores ambientais parecem desempenhar um papel nesta condição.

O diabetes tipo 2, que responde por 90% dos casos, está relacionado a estilo de vida. Pessoas com mais de 45 anos, sedentárias, com sobrepeso, histórico de diabetes ou obesidade na família, dieta inadequada, hipertensão, que tiveram diabetes gestacional ou são pré-diabéticas têm mais chances de desenvolver a doença

Gestantes com mais de 35 anos, que ganham peso excessivamente durante a gravidez, com histórico na família, hipertensão ou pré-eclâmpsia (pressão alta e excesso de proteína na urina) ou com síndrome de ovários policísticos, entre outros fatores, devem estar atentas ao risco de desenvolver diabetes gestacional.

Diagnóstico

O diabetes tipo 1 é caracterizado por vontade de urinar diversas vezes, fome frequente, sede constante, perda de peso, fraqueza, fadiga, nervosismo, mudanças de humor, náusea e vômito

O diagnóstico é feito por um exame que mede os níveis de glicose no sangue, com o paciente em jejum. O paciente é considerado diabético se o valor for superior a 126 mg/dl.

Este mesmo teste identifica o diabetes tipo 2, com os mesmos valores, e classifica como pré-diabéticos os pacientes com níveis de glicose entre 100 e 125 mg/dl. O monitoramento é feito de forma rotineira, já que a doença pode ser silenciosa. Entretanto, quando se manifesta, os sintomas incluem sede excessiva e boca seca, vontade de urinar frequentemente, feridas que demoram a cicatrizar, formigamento nos pés e mãos, infecções recorrentes na pele, visão turva, falta de energia e cansaço.

Durante a gravidez, o médico também pedirá exames para descartar a hipótese de diabetes gestacional. Entre a 24a e 28a semana, a gestante tomará 75 dextrosol, um líquido muito doce que permite avaliar como o corpo lida com níveis elevados de açúcar. O sangue é coletado em três etapas: a primeira em jejum, a segunda uma hora após a ingestão do líquido e a última 2 horas depois. Apenas um resultado acima de 92 mg/dl, 180 mg/dl e 153 mg/dl, respectivamente, já indica a doença.

Tratamento

O risco de desenvolver diabetes pode ser reduzido com mudanças no estilo de vida. Pessoas que se mantêm fisicamente ativas, exercitando-se pelo menos 30 minutos por dia, ou realizando atividades físicas intensas por pelo menos 150 minutos por semana, são menos propensas a desenvolver a doença. Atenção também ao peso e à dieta, que deve ser pobre em açúcares e gordura saturada. Não fume, já que este é um fator de risco para diversas complicações de saúde

Porém, pessoas diagnosticadas com diabetes podem manter suas rotinas com o tratamento adequado. Pacientes com diabetes tipo 1 precisam monitorar a glicose constantemente, com aparelhos específicos que podem ser administrados pelo próprio paciente, e recebem injeções constantes de insulina, também autoadministradas, para evitar complicações

Já quem tem diabetes tipo 2 costuma receber medicamentos orais, para reduzir os níveis de açúcar no sangue, e pode também precisar de insulina em casos específicos

Em todos os casos, um plano alimentar pobre em carboidratos simples e rico em fibras e alimentos naturais ajuda a reduzir os níveis de glicose. A dieta saudável, com pouca gordura e açúcar, também ajuda a prevenir diversas outras doenças além do diabetes, da hipertensão ao câncer.

Os monitoramentos constantes para descartar os riscos de retinopatia, colesterol alto e doenças renais são essenciais para evitar complicações

Recursos

Diversas organizações no Brasil e no exterior podem ajudar você, seu familiar ou seu cuidador a entender e controlar o diabetes. Conte com elas para saber mais, trocar experiências e obter suporte, seja para o paciente ou para a família.

Sociedade Brasileira de Diabetes
https://diabetes.org.br/

Biblioteca Virtual do Ministério da Saúde
https://bvsms.saude.gov.br/diabetes/

Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia
https://www.endocrino.org.br/o-que-e-diabetes/

Ministério da Saúde
https://www.gov.br/saude/pt-br/search?SearchableText=diabetes

International Diabetes Federation (em inglês)
https://idf.org/

The Global Diabetes Compact (ONU) (em inglês)
https://www.who.int/initiatives/the-who-global-diabetes-compact

ATENÇÃO: A lei restringe a venda destes dispositivos a médicos ou mediante prescrição médica. As indicações, contra-indicações, advertências e instruções de uso podem ser encontradas na etiqueta do produto fornecida com cada dispositivo. Os produtos mostrados apenas para fins INFORMATIVOS e não podem ser aprovado ou à venda em alguns países. Este material não se destina ao uso na França. 2022 Copyright © Boston Scientific Corporation ou suas afiliadas. Todos os direitos reservados.

Assine nossa newsletter